logo oeiraslogo 1 mob
logo 2
oeirasoeiras
macau
oeiras
symbol oeiras
macau
symbol macau
logo 1
logo 2
pt
lang
en
infoline upart actsmusic actsticketsvenuefacebookinstagramtwitterpinterestyoutubenewsletter
Image

TODA A GENTE PODE SER TUDO é o novo disco de NBC e foi considerado um dos melhores de 2016 em Portugal. Já ‘Maturidade’ havia ganho esta distinção em 2008 e, desta vez, Timóteo Tiny, o seu nome verdadeiro, arrecadou mais aplausos de pé e críticas musicais carregadas de admiração e reconhecimento pela sua, agora sim, certeza de que a música é o seu sonho a tornar-se real. A sonoridade não podia deixar de ser rhythm and blues clássico, um soul maduro, irreverente e desconcertante, revestidos por um drum and bass dos novos tempos. As letras são de um cantor que continua apaixonado pela língua portuguesa. Este é o momento de NBC. Desde 2014, com o lançamento dos singles Gratia, DOIS e Espelho, que NBC tinha vindo a revelar os motes para aquele que parece ser o álbum da sua vida. «Acorda», o single de apresentação do álbum, ganhou grande destaque da Antena 3 e os anteriores singles preencheram rádios como Oxigénio, Meo Music ou MegaHits. O single «DOIS» faz ainda parte da banda sonora da novela da SIC, «Amor Maior». o artista despertou a atenção dos media quando revelou «Intro/Pulmão», uma curta-metragem, onde aparece envergando umas imponentes asas pretas nas costas em sinal de libertação, quando cantava no alto dos seus pulmões “é desta vez que eu salto”.

‘TODA A GENTE PODE SER TUDO’ é, acima de tudo, um livro para ouvir com o coração aberto e com um caminho inteiro pela frente. O seu novo disco traz também uma novidade num mundo das editoras independentes: a sair para o mercado discográfico com o selo Big Bit, nome do famoso estúdio de gravação de álbuns icónicos de hip-hop que se apresenta agora como uma editora em crescimento. A produção ficou a cargo de NBC, Guilherme Salgueiro, X-Acto, José Semedo, Slow J e DMipe, sediado em Londres. Dino d’Santiago, Sir Scratch, Virgul e José Salgueiro (Resistência e Trovante) formam o leque de artistas convidados. Foi eleito pela Rádio Antena 3, pela Revista Blitz e pelo site Rimas & Batidas como um dos melhores discos do ano e a restante imprensa rendeu-se a sua musicalidade, as letras autobiográficas e à, sempre intacta, música portuguesa cantada em português. O seu lançamento trouxe também uma novidade no mercado das editoras ao ser lançado pela recente criada Big Bit, a extensão dos icónicos estúdios de gravação de hip-hop. Para NBC, este é um disco libertador. Para ele e para os outros. “É um sonho tornado real: é um sonho que tive em 1998 e que em 2016 consegui concluir. É incrível ter um disco que eu componho. Escrevo. Crio. E depois tenho músicos com dom, capacidade, noção daquilo que eu quero dizer as pessoas. Quando tens vontade de verdade, consegues! Pode ser a fazer um disco, a subir o Everest, ou apenas a fazer uma calçada na rua de Lisboa. A tua vontade é a tua inspiração. É essa inspiração que toda a gente tem para alguma coisa. Canalizem a vossa vontade e algo bom vai ser enorme”.